10 cursos de MBA e Pós-Graduação que vão mudar sua vida

10 cursos

Dizem que o ano só começa depois do Carnaval, mas para aqueles que pensam no futuro profissional, 2017 já está a todo vapor. Para quem procura investir em conhecimento, o Unifemm Business School (UBS) está com as inscrições abertas para de 10 cursos de Pós-Graduação e MBA nas áreas do Direito, Gestão, Saúde e Engenharia. As aulas começam no início de março e acontecem no Campus do UNIFEMM e na sede da Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas (ACI), no centro da cidade.
O UBS entra para seu segundo ano de atividades e trouxe a Sete Lagoas um novo conceito de Educação Continuada, com o objetivo de preparar os profissionais para pensar o negócio em qualquer área de atividade. Em 2017, a escola voltada para negócios oferece dois MBA’s, em Gestão Estratégica de Negócios e Controladoria, Gestão de Custos e Finanças. Há também vagas para cinco cursos de Pós-Graduação em Direito, com ênfases em Direito Administrativo, Direito do Trabalho, Direito Previdenciário, Direito Processual e Direito Tributário. Na área de Engenharia há oportunidades para Negócios de Geração Fotovoltaica e Engenharia de Segurança do Trabalho. Já na Saúde, o UNIFEMM oferece a Pós em Fisioterapia Ortopédica e Biomecânica do Movimento Humano.
A grade de cursos do UBS foi pensada para atender as principais demandas dos profissionais de Sete Lagoas e região. “Para isso, ouvimos nossos alunos, professores, coordenadores e diretores de unidade, conversamos com empresários, ex-alunos e ainda realizamos uma leitura do mercado. Desenvolvemos este trabalho ao longo do ano e submetemos a grade para uma comissão de docentes da instituição para avaliação”, revela Nívea Cordeiro Aureliano, Coordenadora do UBS.
Segundo especialistas, um curso de MBA ou Pós-Graduação pode trazer diversos diferenciais para a carreira de um profissional. Dentre eles, permite ampliar a base de contatos, valoriza o currículo, atualiza os conhecimentos e oferece ferramentas para melhor gestão de um negócio. “Com um mercado retraído, as empresas procuram profissionais capacitados e atualizados. Assim, as chances de contratação e de permanência no emprego e no mercado são daqueles que buscam a educação continuada. Os cursos de Pós-Graduação e MBA do UNIFEMM têm um canal aberto com o mercado e inovam em suas disciplinas, apresentando uma proposta de transformação no modo de enxergar o negócio”, garante Nívea Cordeiro.
Os interessados em um dos 10 cursos de Pós-Graduação e MBA do UBS podem fazer suas inscrições diretamente pelo site www.unifemm.edu.br/pos-graduacao. As aulas começam no dia 10 de março.

Cinco razões para fazer uma pós-graduação

cinco

OK, o ano está acabando e você já começou a planejar 2017. O que fazer de útil para você e sua carreira neste novo ano? As perspectivas econômicas talvez não estejam propícias para se pensar em uma promoção ou aumento. E não há muitas oportunidades de trabalho por aí esperando o seu currículo.
Por isso, talvez essa seja a hora de você investir em você mesmo, matriculando-se em uma pós-graduação ou um curso de MBA. A lógica é simples: aproveite este tempo de mercado parado para se preparar. Quando o mercado aquecer e as chances aparecerem, você estará melhor posicionado para aproveitá-las.
Gostou da ideia? Listamos abaixo cinco razões para você fazer uma pós-graduação. Confira.

1- Pré requisito para os melhores cargos
Antigamente a pós-graduação era um grande diferencial para a conquista dos melhores cargos. Hoje é um pré requisito. Segundo pesquisa da consultoria Produtive, de São Paulo, citada pela revista Exame, muitos profissionais conquistaram nos últimos anos certificados de pós e MBA e hoje estão aí, competindo e conquistando posições no mercado. E os melhores salários também. Isso significa que para disputar aquela posição que você almeja, a boa preparação é essencial.
2- Criação de um network valioso
É o network que vai coloca-lo em contato com as pessoas certas, no momento correto para os oportunidades excelentes. Seus colegas de pós-graduação serão seus amigos para o resto da vida e eles se tornarão contatos importantes para indicar você para oportunidades que eles conheçam nas empresas deles ou que vão descobrir junto a outros contatos. Eles serão seus agentes e propagandistas. E você os deles. Essas “rRedes” de ajuda são importantes para se descobrir e conquistar os melhores empregos. E segundo o instituto Endeavour, para o profissional que deseja empreender, a rede de contatos é essencial.
3- Aquisição de novos conhecimentos
Mesmo que você tenha deixado a faculdade há apenas dois ou três anos, voltar a estudar é muito importante. Primeiro, o mundo muda muito rápido e novos conhecimentos surgem a cada momento. E depois, pode ser que a rotina de seu trabalho o esteja impedindo de reconhecer novas tecnologias ou metodologias de trabalho, de forma que você, gradualmente, mas seguramente, vai perdendo competitividade. Um curso de pós ou MBA vai manter você afiado para os desafios de seu trabalho. E vai destaca-lo diante dos demais.
4- Ampliação da visão do mundo dos negócios
O crescimento da carreira depende do conhecimento da especialidade técnica da área onde você atua. Mas tem mais chances de subir aquele profissional que consegue contextualizar seu trabalho dentro de um conjunto de fatores que movimentam o mundo dos negócios, como as mudanças tecnológicas, a economia, as dinâmicas dos mercados, as técnicas gerenciais, as pressões sociais e outros. Esse entendimento permite que o profissional possa atuar de forma mais inteligente e produtiva.
5- Aumente sua autoconfiança
E uma vez que você consolida um bom network, adquire novos conhecimentos, amplia sua visão de mundo e consegue o diploma para poder disputar as melhores vagas, o aumento de sua segurança com você mesmo vai aumentar. Essa autoconfiança reflete-se em uma atitude mais proativa e segura para você se posicionar de forma vencedora diante das oportunidades que surgirão.

Seis dicas para uma atitude vencedora

seis dicas

Recrutadores de talentos e gestores procuram gente com atitude. Isso é, pessoas que saibam se posicionar, gerar propostas e argumentar em favor das mesmas. Pessoas que defendam seus valores de forma clara e que gerem confiança em termos de comportamento e de entrega de resultados. E que, dependendo da posição que ocupam dentro da empresa, saibam tomar decisões, arcando com as consequências.
Ter atitude não significa ser arrogante, mas ser proativo, com personalidade. Você pode adotar alguns comportamentos que ajudam a edificar uma postura mais afirmativa no dia a dia. Abaixo, indicamos seis comportamentos que podem ajudar você a ressaltar sua atitude e seu status dentro da organização.
Quer ver?
1) Não seja “enrolado” na hora de falar.
Vá direto ao ponto. Quando uma pergunta é dirigida a você, pense antes de falar, mas, quando o fizer, responda sem rodeios. Se tiver de explicar alguma coisa, contextualize, exemplifique, justifique, mas seja conciso.

2) Não tenha medo de dizer não
Muitas vezes dizemos sim quando queremos dizer não, somente para agradar aos outros. Isso acaba criando problemas para todos, especialmente para você mesmo. Seja honesto em suas opiniões.

3) Não confunda trabalho com relacionamento
Fazer grandes amizades no trabalho é normal. Não se esqueça que, na empresa, você tem responsabilidades e deve entregar resultados. Às vezes, ser “chapa demais” atrapalha os julgamentos e os compromissos.

4) Pense no agora. E no amanhã também.
Cuidar do dia-a-dia é crucial, mas essa rotina pode colocar um véu à frente dos seus olhos. Pense seu trabalho, a empresa e o mercado em prazos mais longos. Planeje com antecipação suas ações e movimentos.

5) Dê atenção aos processos
Improvisar é uma saída para situações de dificuldade. Mas não se engane: processos devem ser seguidos porque é assim que evitamos que os problemas se repitam. Você pode não gostar, mas seguir os processos ajuda todo mundo.

6) Prometeu, cumpriu!
Combinou? Prometeu? Cumpra sua palavra. A quebra de compromissos incomoda muita gente. Atender às demandas da maneira como combinado aumenta a confiabilidade e a reputação de quem faz o serviço.

A força da educação e gentileza

GENTILEZA
Erasmo Bruno Gonçalves
Pro-Reitor Administrativo e Financeiro do UNIFEMM

Tenho percebido que a falta de boa educação e sensibilidade social está cada vez mais presente no nosso dia a dia. Razões não faltam: ambição, egoísmo, falta de “berço”, ausência de disciplina, de discernimento e ética. Total desconhecimento do que seja respeito, ausência de boas referências.
A contaminação do mau comportamento, ou do mau exemplo, sobre as gerações posteriores é hoje uma realidade. Os filhos vendo pais se digladiando por pouca coisa, agressões por motivos fúteis, adultos não tendo consideração com idosos ou crianças, deficientes, pais agredindo professores sem motivo. Enfim, uma gama de situações que se configuram como “referência” para muitos jovens.
Como ambicionar uma sociedade melhor se nós mesmos apenas criticamos e questionamos os outros sem nos autocriticarmos? Como tentar melhorar sem antes procurarmos nós mesmos sermos melhores? Se não observamos as relações éticas, afetivas e educadas no trato com os demais, como exigir o bom tratamento por parte dos outros?
Não conseguimos mais respeitar a opinião alheia sem agressividade. Do jeito que a coisa vai, breve estaremos retornando à barbárie, em sua forma cruel e animal, e o pior, entendendo como coisa normal. “Tudo é bom e aceitável desde que coincida com a minha forma de enxergar as coisas”.
Está difícil recebermos um “bom dia”, “boa tarde”, “boa noite” ou um “até amanhã” de alguém que chega ou sai de onde estamos, seja de um atendente de loja, de um motorista de transporte público ou táxi, de um funcionário público, de um aluno ou professor em sala de aula, de usuários de elevadores, de colegas de trabalho, de um transeunte qualquer e daí por diante. Aonde andam o “por favor”, o “muito obrigado”, o “por gentileza”? Quantas vezes você ouviu recentemente um “me desculpe”?
A frieza, a má vontade, a ausência de calor humano entre as pessoas nos faz caminhar para um ambiente inóspito e pouco acolhedor. Tenho medo de imaginar como serão as tratativas sociais daqui a algum tempo! Principalmente com as pessoas utilizando quase que somente meios digitais para se comunicar atualmente e, principalmente, o pouco valor que damos aos nossos semelhantes, sejam eles amigos, familiares, colegas de trabalho, ou seja, pessoas em geral.
Óbvio que existem, ainda, as exceções. Porém, pouco a pouco, estão cedendo lugar a esta horda de mal-educados e com ausência de princípios, que, infelizmente, estão dominando todos os setores e ambientes sociais. E olha que não é questão de “escolaridade”. A proporção de “mal-educados” com currículos acadêmicos robustos, é muito grande….
Posso estar enganado, porém a impressão que tenho é que o “cada um por si e o resto que se vire” fica cada vez mais evidente nas comunidades e ambientes sociais. Percebo também que cada vez mais o tratamento aparentemente afetivo ou educado, em muitas pessoas, se baseia muito mais nos que os outros podem lhe dar de retorno do que propriamente pelo ser humano que eles são. Puro interesse! Se não houver nada a receber em troca, somos muitas vezes tratados com desleixo e sem consideração!
Seria bom que fizéssemos uma reflexão sobre isto e eventuais consequências para nós, nossos filhos e netos. Precisamos aumentar os bons exemplos de gentileza.

Os 68 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos

direitos a
Haviam se passado apenas três anos desde o fim dos horrores da 2a Guerra Mundial. E com a memória das atrocidades ainda presente, representantes de diferentes origens jurídicas e culturais de todas as regiões do mundo, reunidos em assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU), em Paris, promulgaram, em 10 de dezembro de 1948, a Declaração Universal dos Direitos Humanos.
O evento, que neste dia 10 de dezembro completa 68 anos, foi um marco histórico em todo mundo. Segundo o Guiness Book of Records, a Declaração Universal dos Direitos Humanos é o documento mais traduzido no mundo (403 idiomas, em 2012). A declaração também inspirou a constituição de muitos estados e democracias recentes.
O 1º Artigo do documento é enfático e abre com a afirmação solene de que “todos os homens nascem livres e iguais em dignidade e direitos; são dotados de razão e consciência e devem agir em relação uns aos outros com espírito de fraternidade” (artigo I). Desta forma, a Declaração Universal dos Direitos Humanos reconhece o princípio da igualdade essencial de todo ser humano em sua dignidade de pessoa, sem distinções de raça, cor, sexo, língua, religião, opinião, origem nacional ou social, riqueza, nascimento, ou qualquer outra condição, como determina seu Artigo 2º.
A partir de sua criação, a declaração se tornou base de todo o Direito, não só no Brasil, mas no mundo, o que forçou uma reorganização dos conjuntos de leis na maioria dos países. “Assim, todo o sistema jurídico teve que ser reinterpretado a partir dos Direitos Humanos, pois seus artigos se tornaram efetivamente a fonte e o parâmetro de organização do Direito”, explica Túlio Louchard Picinini, professor do UNIFEMM, Mestre em Direito pela UFMG.
Esse reconhecimento só foi possível quando, ao término da mais devastadora das guerras até então deflagradas, percebeu-se que a ideia de superioridade de uma raça, de uma classe social, de uma cultura ou de uma religião, sobre todas as demais, põe em risco a própria sobrevivência da humanidade.
Mas segundo o professor do Direito do UNIFEMM, as discussões sobre os Direitos Humanos devem ser permanentes. “Hoje, os Direitos Humanos precisam estar ainda mais em pauta, pois a gente vê grupos buscando, na verdade, a manutenção de privilégios ou a diminuição das políticas de igualdade. Ainda que a declaração já esteja completando quase 70 anos, a sociedade precisa sempre se lembrar das origens do documento, de novo e de novo, para preservar as conquistas firmadas em Paris”, defende Picinini.
Os direitos humanos são influenciados pelo próprio desenvolvimento humano e social. Por isso, desde a segunda metade do século XX, percebeu-se que o princípio da igualdade de todos os seres humanos deve ser complementado com o reconhecimento do chamado direito à diferença. “Para mim, um dos principais pontos da Declaração Universal dos Direitos Humanos é justamente ampliar para toda e qualquer criatura humana a proteção dos direitos que visam a dignidade e a possibilidade de um mundo mais justo, mais equânime, em busca da paz”, observa o professor.

Curso sobre faturamento e emissão de notas fiscais

Imagem1 Você se sente um tanto perdido no emaranhado mundo dos impostos?

ISSQN, ISS, ICMS, ITBI, alíquotas, incidências, isenções… Quanto mais olhamos, mais complicado parece ficar e, por isso, as notas fiscais podem virar verdadeiras armadilhas para os leigos – e podem prejudicar as empresas de todos os tamanhos. Para desvendar esses segredos, o Unifemm Business School (UBS) realiza no dia 25 de novembro o curso “Faturamento e Emissão de Notas Fiscais”. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas através do endereço https://goo.gl/5EDuTJ.

Voltado principalmente para aqueles profissionais que trabalham com emissão de notas fiscais, administradores do faturamento dentro das empresas e supervisores ou coordenadores do setor financeiro, o curso será ministrado pelo especialista em tributos estaduais, municipais e federais, o advogado tributarista e contabilista Cleber Betti, com 14 anos de experiência em capacitação empresarial em grandes empresas. Com uma programação extensa, o curso vai fazer uma introdução aos tributos indiretos, a obrigação tributária, os conceitos e regras básicas do ICMS e suas operações, os benefícios fiscais, diferenciais de alíquotas, o cancelamento e inutilização de documentos fiscais.

“Faturamento e Emissão de Notas Fiscais” será realizado na sede do UBS, localizada na Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas (ACI) (Rua Nicola Lanza, 140). Alunos e ex-alunos do UNIFEMM, assim como sindicatos e empresas filiadas à FIEMG e associados da ACI têm 20% de desconto no investimento.

Unifemm Business School leva curso para Paraopeba

recuperacao.jpg

Referência regional em ensino, o UNIFEMM vai além das fronteiras de Sete Lagoas. Nos dias 28, 29 e 30 de novembro, o Unifemm Business School (UBS) promove em Paraopeba, o curso de curta duração “Recuperação Judicial e Falência das Empresas: Estratégias jurídicas para a superação de crises econômicas nas empresas”, voltado principalmente para empresários, administradores, advogados e estudantes de Direito. As aulas acontecem na sede da CDL, no centro da cidade.

O objetivo do curso é levar aos profissionais de Paraopeba e cidades vizinhas importantes instrumentos jurídicos que ajudam empresas a enfrentar o atual momento de crise. Entre os tópicos abordados no curso de 12h (4 horas por dia) estão as estruturas jurídicas de uma empresa, a análise dos contratos, os modelos legais e as medidas jurídicas para o empresário enfrentar a crise econômica. Em casos extremos, ainda há temas como a falência, a Recuperação Judicial e Extra Judicial.

“Muitos desses temas são desconhecidos pelos pequenos e médios empresários, que têm um peso fundamental na economia do país. Por isso, a importância desse curso, para fornecer ferramentas para os empreendedores”, observa Luiz Felipe Ribeiro Rodrigues, Mestre em Direito de Empresas, coordenador do curso e professor do UNIFEMM.

O curso não se destina apenas aos advogados. “Este é um tema de interesse para empresários, administradores economistas e, claro, advogados de pequenas e médias empresas.”, recomenda o professor.

As inscrições estão abertas através do endereço www.ubs.unifemm.edu.br. Alunos e ex-aluno do UNIFEMM, assim como associados da Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas (ACI), CDL e FIEMG têm 20% de desconto no investimento.

Já imaginou ter seu próprio robô?

robot

A ficção científica deixou os livros e os filmes e virou realidade. Os robôs, aqueles “seres” mecânicos estranhos, de voz computadorizada, que antigamente povoavam os sonhos das pessoas começam a fazer parte do nosso cotidiano, ajudando em diversas tarefas do trabalho e de casa. Eles já dominam alguns setores e são insubstituíveis em algumas atividades, como as de risco e as perigosas. E você, já imaginou ter o seu próprio robô? Bem, isso pode estar mais próximo que imagina.

No próximo sábado, dia 12 de novembro, o Unifemm Business School (UBS) realiza o 1o Workshop de Introdução à Robótica. O curso terá a duração de oito horas e será realizado no Campus do UNIFEMM. Voltado para os profissionais e estudantes da área de engenharia, o Workshop terá como facilitadores o consultor e palestrante com vasta experiência internacional em gestão e inovação, Gustavo Couto, acompanhado pela Marina França, com amplo conhecimento de robótica e eletrônicos para crianças, adolescentes e adultos.
O objetivo é despertar nos alunos o gosto pela aprendizagem de atividades inovadoras que incentive e ensine lógica e programação. Para isso, será usado um simpático brinquedo, adorado em todo o mundo, o LEGO Robótica, voltado para o desenvolvimento cognitivo e emocional de jovens. Através da tecnologia LEGO Mindstorms EV3, desenvolvida pela tradicional indústria de brinquedos, a plataforma possibilita as pessoas construir, programar e comandar o próprio robô da LEGO. O projeto utiliza a lógica para desenvolver os problemas propostos, além de aproximar os alunos do universo tecnológico e estimular a convivência, por meio de uma plataforma simples, divertida e dinâmica.
As vagas são limitadas. Alunos e ex-alunos do UNIFEMM, assim como associados da Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas (ACI) têm 20% de desconto no investimento. Confira no link: https://goo.gl/5Q6PEH

 

Desvendando os segredos dos impostos

 

IMPOSTOSSão inúmeras as siglas do emaranhado mundo dos impostos: ISSQN, ISS, ICMS, ITBI, dentre outros. Alíquotas, incidências, isenções… Quanto mais olhamos, mais complicado parece ficar e, por isso, as notas fiscais podem virar verdadeiras armadilhas para os leigos. Para desvendar esses segredos, o Unifemm Business School (UBS) realiza no dia 25 de novembro o curso “Faturamento e Emissão de Notas Fiscais”. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas através do endereço https://goo.gl/5EDuTJ.

Voltado principalmente para aqueles profissionais que trabalham com emissão de notas fiscais, administradores do faturamento dentro das empresas e supervisores ou coordenadores do setor financeiro, o curso será ministrado pelo especialista em tributos estaduais, municipais e federais, o advogado tributarista e contabilista Cleber Betti, com 14 anos de experiência em capacitação empresarial em grandes empresas. Com uma programação extensa, o curso vai fazer uma introdução aos tributos indiretos, a obrigação tributária, os conceitos e regras básicas do ICMS e suas operações, os benefícios fiscais, diferenciais de alíquotas, o cancelamento e inutilização de documentos fiscais.

“Faturamento e Emissão de Notas Fiscais” será realizado na sede do UBS, localizada na Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas (ACI) (Rua Nicola Lanza, 140). Alunos e ex-alunos do UNIFEMM, assim como sindicatos e empresas filiadas à FIEMG e associados da ACI têm 20% de desconto no investimento.

Para perder o medo de falar em público

oratoria

Tremedeira, suor frio nas mãos, enjoo e até mesmo dor de barriga. Falar em público é um processo doloroso para algumas pessoas. Para atender aqueles que precisam se comunicar de forma mais eficiente, seja no ambiente de trabalho ou socialmente, o Unifemm Business School (UBS) está com as inscrições abertas para o curso “Oratória – Como falar em público”, com 8h de duração no dia 08 de novembro, com conteúdo prático para os alunos.

“A oratória é a arte de se falar em público de forma estruturada e eficiente”, explica a facilitadora do curso, Maria José D’Alessandro, com mais de 30 anos de experiência em processos de comunicação e pós-graduada em Marketing. Para ela, a pessoa não precisa ser um “rei da comunicação” para se dar bem com um microfone na mão, mas precisa sim ter a noção de que falar em público requer uma preparação mínima. “É importante planejar o que se pretende comunicar, saber qual é o objetivo da comunicação, saber aonde se pretende chegar”, explica Maria José, que também é professora e tradutora de inglês.

O diferencial do curso oferecido pelo UBS é seu conteúdo prático, com a utilização de vídeos e outros recursos. Mas a professora Maria José lembra que comunicar não é só falar. Segundo ela, a postura faz parte da comunicação. “A linguagem corporal pode representar até 60% da comunicação. Em algumas ocasiões é tão importante quanto a fala”, garante. Os gestos e as expressões faciais podem gerar empatia entre os interlocutores. “Os três minutos iniciais são essenciais para causar a primeira impressão”, observa Maria José.

O curso vai abordar temas como o domínio da fala em público nas relações internas e com cliente, em sala de aula, em um grupo de trabalho, como interagir com o público e como abrir e encerrar uma apresentação. “Antes a comunicação era feita através da fórmula fechada entre emissor e receptor, mas hoje, com o advento das redes sociais, há muita gente falando e comunicando o tempo todo e precisamos nos destacar entre todo esse ruído”, observa.

O curso de Oratória será realizado na sede do UBS, localizado no prédio da Associação Comercial e Industrial de Sete Lagoas (ACI), no centro da cidade (rua Nicola Lanza, 140). Os interessados devem fazer a inscrição até o dia 07 de novembro através do link https://goo.gl/TYOq8o . Alunos e ex-alunos do UNIFEMM, empresas parceiras e associadas da ACI e sindicatos e empresas afiliadas à FIEMG têm 20% de desconto no investimento.