4 maneiras de estudar em uma faculdade particular sem se endividar

Fazer uma graduação é o sonho de muita gente, assim como passar em uma faculdade federal. Mesmo com muitas horas de estudos, nem sempre será possível atingir esse objetivo, pois o número de vagas ofertadas é limitado e não comporta o número de concorrentes.

Mas se engana quem pensa que somente é possível iniciar o curso superior em instituição federal. Hoje em dia é possível estudar em faculdade particular, e se você calcular alguns gastos, talvez seja até uma solução mais viável.

Existem centros universitários filantrópicos que oferecem bolsas de estudos, assim como outros benefícios concedidos pelo governo.

Se você está pensando em começar o ensino superior em uma faculdade privada, continue lendo, pois este artigo pode te ajudar. Separamos 4 dicas de como estudar em uma faculdade particular sem se endividar!

1. Prouni

O Ministério da Educação (MEC) oferece bolsas de estudos em instituições de ensino superior particulares de todo o país por meio do Prouni (Programa Universidade para Todos).

As bolsas são de 50% e 100% para os candidatos que querem ingressar no primeiro curso superior, mas para se candidatar é preciso fazer o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio).

Para se beneficiar do programa, você tem que seguir algumas regrinhas. Não é apenas tirar uma ótima nota no Enem; há também uma análise do perfil socioeconômico. Veja o que é necessário:

  • ter uma média mínima no Enem de 450 pontos e não ter zerado a redação;

  • verificar a nota de corte (menor nota para ficar entre os potencialmente selecionados), para o curso da instituição escolhida;

  • ter renda familiar, por pessoa, de até três salários mínimos;

  • cursar o ensino médio em escola pública, ou ter cursado todo o ensino ou parte dele em escola particular com bolsa de estudos;

  • fazer inscrição online no site do programa.

Todo o processo acontece online. Se você for pré-selecionado é necessário procurar a faculdade particular na data estipulada pelo Prouni. Toda a documentação passa por análise do setor de assistência ao aluno e deve ser coerente com os dados que você preencheu na sua inscrição.

Se você se encaixa nos requisitos acima, então capriche na sua prova e fique atento ao cronograma do governo para não perder nenhum prazo. Se você estudar e fizer uma boa prova, talvez a próxima bolsa seja sua! E atenção: durante o curso, o aluno precisa ter um bom rendimento acadêmico para não perder a bolsa.

2. Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa do MEC que permite financiar o curso de graduação superior em faculdades particulares avaliadas com boas notas pelo Ministério de Educação. É uma boa opção para o estudante, pois não pesa no bolso, permite estudar com tranquilidade e pode ser inserida no orçamento.

Com as novas regras, o candidato precisa ter feito o ENEM pelo menos uma vez, não ter zerado a redação e ter alcançado uma média mínima de 450 pontos. O financiamento também considera as condições econômicas da família, sendo que a renda per capita não pode ultrapassar cinco salários mínimos.

Esse programa permite financiar até 100% das mensalidades. O percentual varia de acordo com sua renda familiar e valor da graduação. Durante o curso, você paga uma taxa de utilização a cada trimestre (até R$150,00), que é referente ao pagamento de juros incidentes.

O pagamento da dívida deve começar no mês seguinte à conclusão do curso nos casos em que o estudante estiver empregado. Em caso negativo, o saldo poderá ser quitado em prestações mensais com o valor do pagamento mínimo. Lembrando que o prazo máximo para o pagamento do curso é de 14 anos.

Fique sempre de olho nas datas, pois as inscrições são feitas online na plataforma de Sistema de Seleção do FIES (SisFIES). Você deve informar no ato da inscrição o curso de interesse, a instituição, além dos seus dados pessoais. Ah, é importante lembrar que você precisa de um fiador ou garantidor financeiro.

Após ser selecionado, você precisa procurar a Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento (CPSA) da faculdade para analisar e consolidar todas as informações declaradas na inscrição e formalizar a contratação do financiamento.

O FIES permite estudar em uma faculdade particular de forma mais fácil se o orçamento estiver curto. Você só paga após sua formação e até lá provavelmente já atuará na sua área de estudos e com um bom emprego.

3. Financiamento privado

Hoje em dia, a grande maioria dos Centros Universitários já tem parcerias com instituições financeiras privadas, que ofertam um tipo de financiamento estudantil para apoiar os alunos nessa fase tão importante da vida: a graduação.

Então, é imprescindível que você pesquise e procure o setor financeiro da instituição de ensino onde pretende fazer o vestibular para se informar sobre planos de pagamentos e créditos estudantis.

Nos casos em que você puder pagar um montante, faça uma negociação diretamente na faculdade. Dessa forma, busque um financiamento que possa ser inserido no seu orçamento. A maioria dos contratos é semestral, assim você consegue se programar antes e não ser pego de surpresa no final do mês ou no meio do curso.

Agora, uma dica: faça um planejamento financeiro e elimine os gastos supérfluos. Chegou o momento de investir no seu futuro!

4. Bolsas institucionais

As intuições de ensino privadas — sem fins lucrativos — ofertam aos estudantes bolsas de estudos (parcial ou integral) por meio da análise do perfil socioeconômico determinado pela Lei da Filantropia.

O UNIFEMM tem programas de bolsas estudantis Flex, com percentual de desconto para os calouros que desejam ingressar no mundo acadêmico. As porcentagens das bolsas distribuídas são de acordo com o curso escolhido (para os alunos ingressantes) e por meio de análise do perfil econômico familiar (para os veteranos).

Além da bolsa Flex, a instituição também concede Bolsa Assistencial de 100%. É necessário se inscrever pelo site e responder a um questionário com os dados pessoais do universitário. Logo após, o candidato à bolsa será pré-classificado de acordo com a renda familiar e, em seguida, passará pela análise dos dados informados (checagem de documentos, entrevista com a assistente social e visita domiciliar).

O objetivo da instituição é beneficiar os estudantes que precisam de auxílio para arcar com as mensalidades do curso e impulsionar sua entrada no mercado profissional. É uma oportunidade para o aluno transformar sua vida por meio da educação superior.

Estudar em uma faculdade particular é possível, sim! E ainda é mais fácil do que você imagina. São grandes as possibilidades para o universitário, pois os programas de créditos estudantis auxiliam nas mensalidades do curso.

A graduação vai fazer diferença na sua vida profissional e pessoal. Então, se prepare para iniciar sua jornada no mundo acadêmico. Leia informações sobre créditos estudantis, faça um planejamento financeiro, corte gastos e invista em você e no seu futuro!

Você tem um amigo que ainda não sabe como arcar com suas mensalidades em uma faculdade particular e que, assim como você, sonha em fazer uma graduação? Então compartilhe este artigo nas redes e mostre para mais pessoas quais são as facilidades para começar os estudos no curso sonhado!