40 histórias inspiradoras do curso de Direito – Claudio Maia

Graduado em Direito pelo UNIFEMM em 1995, Claudio Maia ocupa hoje os cargos de Auditor Fiscal e Delegado Adjunto da Receita Federal em Sete Lagoas. Trabalhou e morou em cidades Natal e Brasília, até retornar à cidade. Além de todo o conhecimento da área, para ele o curso despertou também uma melhor visão de cidadania.
Como foi sua trajetória profissional até chegar ao atual cargo que ocupa hoje?
* Fiscal de Tributos Municipais no Município de Sete Lagoas entre 1996 e 1998.
* Auditor Fiscal da Previdência Social em 1998 até 2007. A partir de 2007 o cargo passou a denominar-se auditor fiscal da Receita Federal do Brasil (com a unificação da Secretaria da Receita Previdenciária e Secretaria da Receita Federal)
* Neste período (1998 a 2014) destaco as seguintes funções exercidas:
        – Chefe da Arrecadação Previdenciária no Estado do Rio Grande do Norte- Natal – RN,
        – Coordenador-Geral de Tributação e Julgamento do INSS – Brasília
        – Assessor da Secretaria da Receita Previdenciária – Brasília
        – delegado adjunto da Delegacia da Receita Federal do Brasil em Sete Lagoas.
Como foram os anos que o senhor passou no curso de Direito? Há boas lembranças? Tem casos que ainda guarda na memória?
Os anos de graduação foram uma experiência muito agregadora. Novas e profícuas amizades, inclusive com a minha esposa, Kelly, que conheci nos anos de graduação com a qual me casei no dia de nossa colação de grau. No ambiente acadêmico vivenciamos um convívio diário com pessoas com conhecimentos heterogêneos que nos ajudaram a consolidar experiências, alterar a compreensão de outras e  formar uma opinião crítica.
Na sua visão, o que foi mais importante no aprendizado durante o curso de Direito?
Destaco o aprendizado ou despertar para a cidadania plena. Embora reconheça, hoje, que isto deve ser intrínseco a qualquer cidadão, não tinha esta visão antes do curso.
O Direito é uma área em constante mudanças, em suas leis e doutrinas, mas, por outro lado, há bases sólidas que não alteram, como a ética e a filosofia. Como você vê o estudo do Direito atualmente? Como acompanhar a evolução?
Esta evolução ocorre essencialmente no direito positivo. Assim, como qualquer outra área de estudo, o acompanhamento das mudanças deve ser feito utilizando-se esta revolução do acesso às informações, principalmente a internet.
Para os alunos do Direito do UNIFEMM hoje, quais seriam seus conselhos para conseguirem uma boa colocação profissional? Qual o tipo de profissional o mercado procura?
 Penso que para uma boa colocação o profissional de direito deve investir em sua formação axiológica. Desenvolver a moral e a ética, lapidar valores, pois fundamentam a melhor compreensão do direito positivo. Estes são os profissionais de direito que o mercado espera.

Deixe uma resposta