6 porquês para você fazer iniciação científica durante a faculdade

Durante a graduação, o estudante tem a oportunidade de adquirir conhecimentos e traçar o melhor caminho para consolidar sua carreira. Para contribuir com a formação profissional de seus alunos, as universidades costumam oferecer alguns projetos acadêmicos, em especial a iniciação científica.

Ela traz alguns benefícios, e é uma ótima oportunidade de inserção nas práticas de pesquisa. Para saber se essa atividade é indicada para seu perfil, é essencial conhecer seu conceito e sua importância para quem deseja seguir carreira acadêmica.

Para dar mais detalhes sobre esse assunto, vamos explicar, a seguir, como é a atuação no programa e quais os principais motivos para iniciar essa atividade ao longo da faculdade. Acompanhe a leitura!

O que é iniciação científica?

Para proporcionar atividades orientadas por pesquisadores experientes, as universidades utilizam esse programa no decorrer da graduação. Por meio dele, os alunos entram em contato com grupos e linhas de pesquisas para aprender técnicas e métodos científicos.

Além da inserção em atividades de pesquisa, também estimula o desenvolvimento da criatividade e do pensamento científico. Tem duração média de um ano e pode contar com auxílio de bolsas de fomento.

Importância para a carreira acadêmica

O projeto desperta e incentiva o interesse dos alunos da graduação na produção de pesquisas e prepara para o desenvolvimento da carreira na área acadêmica como professor universitário.

É direcionado aos discentes que ainda não têm experiência no ramo. Inicialmente, vincula o estudo ao projeto do professor responsável pela orientação, mas seu objetivo é possibilitar ao universitário ganhar autonomia com o passar do tempo.

No decorrer das atividades, ele terá contato com outros colaboradores envolvidos, como professores, pós-graduandos e outros pesquisadores, ampliando sua rede de contatos na área acadêmica.

Quais os principais motivos para fazer iniciação científica?

O mercado de trabalho é bastante competitivo. A dedicação e o estudo têm papel de destaque na formação de uma carreira de sucesso. Por isso, para enriquecer o currículo, é importante participar de algumas atividades extracurriculares e complementares durante a graduação.

Veja a seguir 6 motivos para fazer parte da iniciação científica:

1. Melhor rendimento acadêmico

Os estudantes que participam desses projetos desenvolvem novos métodos de aprendizado. Fora da sala de aula, eles passam a ter contato com laboratórios e outros formatos de estudos, inseridos em um ambiente que gera mais motivação.

A iniciação científica ajuda a desenvolver a oralidade e a escrita, devido à leitura constante da bibliografia envolvida na pesquisa. As interações sociais com os outros membros do grupo ajudam a desenvolver a oratória e fortalecem a sociabilidade.

Todas essas habilidades exercitadas durante a faculdade resultam na melhoria do rendimento acadêmico e, posteriormente, na vida profissional.

2. Ingresso na pós-graduação

O mercado tem exigido cada vez mais profissionais especializados. Por isso, é importante dar continuidade aos estudos por meio de uma pós-graduação.

Por oferecer conhecimentos sobre método científico, elaboração de artigos e projetos de pesquisas, a iniciação científica cumpre um papel primordial no preparo do aluno para o ingresso em cursos de especialização.

Estudantes que já participaram do programa apresentam um desempenho melhor no processo de seleção de mestrados ou doutorados. Além dos conhecimentos adquiridos, a participação se torna um diferencial na análise de currículos ao longo dessa etapa.

3. Participação em eventos científicos

O desenvolvimento de pesquisas prepara o discente para elaborar trabalhos mais complexos que serão apresentados em eventos científicos. A ida a esses eventos é de extrema importância para a trajetória profissional desse indivíduo.

Além de ficar por dentro das tendências do seu ramo de atuação, o aluno tem a possibilidade de ampliar e fortalecer seu networking. O contato profissional com outras pessoas da área será de muita utilidade no momento de conseguir uma oportunidade de trabalho.

4. Desenvolvimento profissional

Apesar de ter destaque na formação de pesquisadores e docentes, o programa de iniciação científica não se limita à vida acadêmica, pois também tem um papel de grande importância no futuro profissional.

Ele abrange aspectos relacionados à análise crítica, à autonomia e ao amadurecimento intelectual, e desenvolve habilidades como criatividade, senso de responsabilidade e pensamento crítico.

Todas essas competências adquiridas vão influenciar a atuação profissional desse indivíduo, e os conhecimentos obtidos serão úteis a quem tenha interesse em ingressar no mercado de trabalho tradicional.

5. Possibilidade de monitorias

Embora não seja exclusiva da iniciação científica, a monitoria é uma oportunidade que aparece com mais frequência aos estudantes inseridos em projetos, pois está associada ao bom rendimento acadêmico e aos conhecimentos da área pretendida.

Na monitoria, o estudante auxilia o professor no planejamento das aulas, correção de exercícios e auxílio aos alunos durante as aulas ou em atendimentos extraclasse.

6. Bolsas acadêmicas

É possível realizar o programa com auxílio financeiro por meio das bolsas acadêmicas. Para a concessão da bolsa, o universitário precisa se candidatar ao processo de seleção que costuma ocorrer anualmente.

Ao aluno bolsista é frequentemente exigida dedicação exclusiva, sendo proibido exercer outra atividade remunerada no mesmo período de concessão, sob pena de perder o benefício.

No Brasil são oferecidas bolsas de diferentes institutos. Entre as mais conhecidas estão as relacionadas ao CNPq (Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), com valor atual de R$ 400,00.

Como é a atuação do estudante no programa?

A atuação acadêmica varia de acordo com a área de conhecimento ao qual está ligado. Entre as principais, podemos citar:

  • humanas e sociais aplicadas — envolvem muita pesquisa bibliográfica, com elaboração de resenhas e fichamentos;

  • exatas e engenharias — comumente abrange atividades em laboratórios e interpretação de dados;

  • biológicas e ciências da saúde — a maior parte da atuação dessas áreas está relacionada a atividades em laboratório e de campo;

  • artes — são frequentes atividades que envolvem a investigação de novas técnicas e tendências artísticas.

A iniciação científica traz muitas vantagens para a vida acadêmica do estudante, e é responsável por desenvolver a criatividade e o senso crítico, características fundamentais para um bom profissional. Por isso, é uma excelente oportunidade para quem quer se destacar na sua área de atuação e alcançar o sucesso na carreira.

Gostou de conhecer mais sobre os benefícios da iniciação científica? Se você tem dúvidas se esse é o caminho certo para sua carreira, baixe nosso e-book e descubra sua vocação profissional.