Dicas de redação: 8 erros que você precisa evitar

Uma das melhores dicas de redação para você arrasar na produção de um texto é evitar falhas que acabam comprometendo a sua qualidade. Ou seja, além de aprender o que fazer, descobrir o que não fazer também é importante para ter um bom resultado.

O ideal é reunir as melhores orientações e programar uma rotina de muito treino, o que ajuda muito a adquirir experiência prática e a conquistar maior segurança para realizar provas, como o Enem e outros vestibulares.

E você? Já está craque como redator ou sente que ainda precisa melhorar? Para ajudar nesse desenvolvimento, separamos quais são os principais erros que devem ser evitados. Confira!

1. Fugir do tema

Esse é um grande risco para as pessoas mais desligadas e que não prestam tanta atenção aos enunciados. Normalmente, toda proposta de redação aborda um assunto específico e dá as coordenadas gerais de como deve ser o conteúdo trabalhado.

Então, há quem comece a escrever sobre o tema e acabe falando de outras coisas que fogem do objeto principal. Por outro lado, algumas pessoas ligam o automático e, sem se preocuparem em entender muito bem a questão, discorrem a respeito de algo que não faz tanto sentido.

O problema é que o fato de escapar do objetivo pode zerar a nota do candidato. Não que exista uma resposta certa e esperada pelos avaliadores, contudo, a fuga total ou parcial do tema é capaz de anular toda a redação.

Logo, uma dica essencial é ler e reler a proposta até conseguir entendê-la bem. Depois de escrever o seu texto, faça outra releitura com calma para conferir se ele está bem relacionado com o enunciado.

2. Usar gírias

Uma das competências avaliadas em uma prova de redação é se o redator domina a norma culta da língua — no caso, da língua portuguesa. Portanto, gírias e expressões cotidianas não costumam ser aceitas.

Por exemplo, incluir palavras como “né” ou “tipo assim” é considerado como um erro, pois são expressões da linguagem informal. Para piorar, existem pessoas que fazem abreviações iguais às que encontramos nas conversas virtuais (“vc”, “tbm”, “pq” e outras).

Essa tendência de usar a forma coloquial no texto, talvez com a desculpa de deixá-lo mais descontraído ou simplesmente pelo costume de se comunicar assim, é outra situação que deve ser evitada ao máximo.

3. Fazer a regência errada da palavra

Nomes (substantivos, adjetivos e advérbios) e verbos têm regras específicas de regência. Isto é, todos esses termos possuem uma relação sistemática quando vão construir uma frase.

Alguns deles, segundo as normas da nossa língua, precisam de complementos para obter o seu sentido completo. Por exemplo, na frase “entreguei a prova à professora“, a crase existe pois há a necessidade da preposição “a” junto com o artigo. Afinal, quem entrega algo, entrega a alguém, sendo um verbo transitivo direto e indireto.

Por sua vez, outros termos não precisam de nenhum “acessório”, mas você precisa saber diferenciá-los para criar o seu texto da forma correta. Estudar esses detalhes é importantíssimo para evitar uma série de erros.

4. Desrespeitar os direitos humanos

Tomando como referência o Enem, um descuido imperdoável é ir contra os direitos humanos na sua escrita. Inclusive, esse é um ponto presente nos cinco critérios de avaliação da redação: “elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos”.

Na prática, isso significa que não cumprir essa orientação provavelmente é capaz de garantir um belo zero. A ideia é sempre pensar na questão sem deixar de lado os valores humanos que devem ser preservados — cidadania, liberdade, solidariedade e diversidade cultural.

Mesmo que você consiga escrever ótimas linhas de desenvolvimento para o tema, não adianta terminar o texto com uma ideia que possa ser considerada como um desrespeito a qualquer ser humano (por mais que ele seja um ladrão, assassino, corrupto ou tenha cometido outro tipo de crime). Dê a sua opinião com consciência e abandone o radicalismo.

5. Esquecer das regras gramaticais

Uma das melhores dicas de redação é fazer da gramática a sua melhor amiga. Como os vestibulares trabalham com a variação culta da língua, o texto não deve apresentar desvios gramaticais, o que demonstra conhecimento das normas e segurança para os avaliadores.

É verdade que o português não é uma língua tão fácil e que há muitas regras envolvidas. Por causa disso, sua missão é estudar todos os dias um pouco para revisar todo o conteúdo. Aproveite para perceber as suas maiores dificuldades e intensificar a dedicação a esses tópicos.

Sabe aquelas pequenas coisas que parecem não entrar nunca na sua cabeça? Elas merecem o seu esforço! Para se destacar, fuja também dos deslizes mais comuns que empobrecem o seu texto. Alguns exemplos são:

  • pleonasmos: “há dez anos atrás”;
  • concordância: “a maioria das pessoas são chatas”;
  • adequação ortográfica: uso de por que, porque, porquê ou por quê;
  • diferenças entre palavras semelhantes: mal/mau e mas/mais.

6. Errar na ortografia

Essa é uma falha cometida muito mais pela desatenção do que pela falta de conhecimento. Escrever com pressa ou sob um estado nervosismo é totalmente capaz de gerar efeitos como erros de ortografia — o que inclui a grafia correta das palavras e o uso dos sinais gráficos.

Por conta disso, nunca entregue a sua redação sem reler cada termo com muita concentração e cuidado. Infelizmente, um pequeno desvio pode saltar aos olhos do corretor.

Além disso, reforce os estudos durante a preparação para conseguir identificar as eventuais confusões ortográficas. Alguns dos pontos mais críticos são o emprego da crase e a acentuação. Um dos segredos para reduzir as chances de erros é estimular o hábito da leitura.

7. Confundir o tipo de texto

Seguir a proposta do exercício de redação não é só falar sobre o tema certo, mas entregar o tipo de texto que foi pedido. O mais comum em vestibulares e no próprio Enem é ter que escrever um texto argumentativo-dissertativo — que é conhecido como dissertação.

Isso quer dizer que você não deve fazer um poema ou inventar uma narração. Sua tarefa será desenvolver o seu ponto de vista a respeito do assunto apresentado, estruturando a sua argumentação e oferecendo uma solução para o problema. Sendo assim, evite a primeira pessoa do singular ao expor seus pensamentos, o que confere uma impessoalidade e mais força para as suas ideias.

8. Escrever períodos muito longos

A sua missão em uma prova importante é ser objetivo e claro ao expor as suas ideias. Acontece que algumas coisas podem atrapalhar a clareza do seu texto, sendo uma delas a tendência de escrever frases muito longas.

Fazer um único período cheio de informações geralmente dificulta a compreensão, sem contar que a pontuação, coesão e concordância também devem ser mais trabalhosas — e tudo isso favorece a imperfeição. Em vista disso, evite os períodos muito extensos e priorize a objetividade.

Enfim, o que importa é reunir todas essas dicas de redação e investir na sua preparação para as provas. Organize o seu tempo e crie uma rotina de escrita para se sentir cada vez mais confiante!

Gostou deste post? Para continuar aprimorando seus conhecimentos, continue no blog e saiba como fazer uma boa redação.