Teste vocacional vale a pena? Descubra neste post!

Escolher uma carreira é, talvez, o maior dilema do estudante às vésperas da inscrição para o vestibular. Afinal, quanto mais acertada for essa decisão sobre a vida profissional, maiores as chances de alcançar realização e sucesso. Para diminuir as chances de erro ao identificar sua aptidão vocacional, fazer um teste pode ser uma ótima ideia.

Essa é uma ferramenta utilizada por milhares de pessoas para tentar afastar as dúvidas e decidir uma profissão para o futuro. Será que vale mesmo a pena investir nesse tipo de estratégia?

Para informar-se sobre o assunto, não deixe de acompanhar o post a seguir!

Por que fazer um teste vocacional?

Que curso eu devo fazer? Qual profissão tem mais a ver com meu perfil? Por qual caminho seguir? Esses são questionamentos que normalmente passam pela cabeça dos estudantes durante a fase de escolha de carreira.

A indecisão faz parte desse processo, sendo preciso muita reflexão para não se arrepender depois e correr o risco de abandonar o curso antes da conclusão. Na verdade, mudanças podem ocorrer com o passar do tempo e essa pressão por tomar uma decisão para o resto da vida não deve ser estimulada.

Acontece que fazer uma escolha bem pensada realmente é importante para evitar frustrações e outros problemas. Sem contar que a identificação com o curso é um ingrediente que contribui muito com a missão de estudar e se formar como um profissional competente.

Nesse sentido, uma alternativa para tentar esclarecer um pouco a situação é buscar ajuda na orientação vocacional. Essa é uma técnica elaborada por especialistas para facilitar a escolha profissional e incluir vários recursos — como fundamentação teórica, avaliação técnica e uso de métodos e instrumentos específicos.

Vocação significa aptidão, talento, habilidade, tendência para cumprir determinada missão. Logo, é basicamente isso que um teste avalia: quais as propensões de uma pessoa e qual área de trabalho é mais compatível com o seu perfil.

Os testes vocacionais trabalham o autoconhecimento. A partir disso, o estudante é levado a pensar nas suas motivações e expectativas, seus gostos e interesses, suas facilidades e limitações.

Dessa forma, você pode confirmar a predisposição para desempenhar uma profissão que já havia considerado antes, assim como pode descobrir opções que jamais imaginaria e ampliar o leque de possibilidades.

Como esses testes funcionam?

O teste vocacional funciona como uma espécie de espelho, permitindo que a pessoa reflita e enxergue coisas em si mesma que ainda não havia observado. São avaliados traços de personalidade, qualidades, dificuldades, preferências e perspectivas em relação ao futuro pessoal e profissional.

Além de avaliar habilidades e propensões, esse tipo de recursos também obtém resultados relacionados ao padrão de pensamento e comportamento do estudante — ou seja, suas relações e vivências, seus valores, referências e influências.

Como um processo completo, a orientação vocacional deve ser conduzida por profissionais de Psicologia. A razão está no fato de que são utilizados métodos e técnicas de avaliação psicológica.

Então, fica claro que tais instrumentos precisam ser guiados por um especialista. Alguns exemplos de atividades específicas são: entrevistas individuais; dinâmicas de grupo; escalas; testes de personalidade; testes psicométricos, dentre outros.

Os resultados de todos esses procedimentos precisam ainda ser avaliados em conjunto, o que demanda conhecimento. Eles ajudam a extrair informações relevantes e traçar um perfil da pessoa avaliada, elucidando suas características psicológicas, tendências e inclinações.

Diante dessas respostas, é possível verificar com mais segurança quais profissões são mais compatíveis à personalidade de cada estudante.

Os resultados são confiáveis?

Os resultados de um teste vocacional não devem ser compreendidos como uma resposta única e imutável, e sim como uma direção. Normalmente, é apresentado um funil de possibilidades e a própria pessoa também precisa fazer um exercício de autoanálise, observando suas verdadeiras vontades e tirando as suas conclusões.

Por exemplo: experimente fazer uma projeção em relação ao seu futuro profissional e imagine o ponto que pretende alcançar. Veja se as profissões que o resultado do teste associou ao seu perfil ocupam lugar nesse cenário, ou se elas não se encaixam nos seus planos de vida.

Na hora de escolher uma profissão, você também deve pesar outros fatores, como oportunidades do mercado de trabalho, pluralidade de áreas de atuação, chances de ascensão profissional e até remuneração. Todos esses fatores são importantes e devem ser considerados (em maior ou menor grau, dependendo de cada caso).

Quanto à confiabilidade dos testes, é possível dizer que aqueles que são aplicados por profissionais especializados, em conjunto com outros instrumentos de avaliação psicológica e comportamental, costumam garantir resultados seguros.

Há também uma vasta quantidade de testes vocacionais disponíveis na internet, mas esses devem ser utilizados apenas como um guia complementar de escolhas. Alguns dos testes online são elaborados por profissionais da área, como psicólogos e educadores, e asseguram resultados mais próximos da realidade.

Por outro lado, você pode encontrar opções de avaliação rasas, inconclusivas e não supervisionadas por especialistas. O problema disso é que, diante de análises duvidosas, você pode ficar ainda mais confuso e correr o risco de fazer uma escolha incerta — que não é o que está procurando, não é mesmo?

Para que o resultado do teste vocacional seja um recurso aliado e melhore suas alternativas, um bom conselho é buscar desenvolver o autoconhecimento e exercer a autoanálise de maneira contínua.

Assim, você terá cada vez mais consciência de quem você é, de quais são os seus desejos e esperanças, quais as suas capacidades e bloqueios, e assim por diante. Na verdade, o que o teste faz é ajudar a trazer à tona respostas que você já tem dentro de si. Então, é bom estar cada vez mais preparado para encontrá-las.

Quem pode recorrer aos testes vocacionais?

Todos que querem um direcionamento ou um redirecionamento na vida profissional podem recorrer aos testes vocacionais, especialmente como um suporte para planejar o futuro da carreira e dar novos passos.

Isso inclui: os jovens que vão iniciar sua trajetória acadêmica no ensino superior; as pessoas que estão inseridas no mercado de trabalho, mas ainda estão perdidas e não encontraram sua verdadeira vocação; os profissionais experientes em determinado ramo e que gostariam de encarar outros desafios e arriscar novos caminhos.

Para quem está concluindo o Ensino Médio e se preparando para a entrada no mundo universitário, essa decisão tende a ser bastante delicada. Um dos motivos para isso é o possível confronto entre as aspirações internas do estudante, a expectativa da família e a pressão da sociedade.

Para quem já segue uma carreira e está em dúvidas sobre permanecer nesse caminho, é importante reavaliar suas aptidões e considerar novas alternativas. Assim como as pessoas, as profissões e o mercado também passam por transformações constantes. É o caso de quem não tem mais identificação com o cargo que ocupa ou de quem descobriu novos interesses recentemente.

Quais são os outros passos para descobrir a aptidão profissional?

Ainda que o teste vocacional seja uma das técnicas mais conhecidas, existem outros passos que podem ser explorados por quem está em busca de descobrir suas aptidões e definir seu futuro. Confira a seguir algumas das opções que separamos.

Desenvolva seu autoconhecimento

Como falamos acima, o autoconhecimento é um fator decisivo para fazer escolhas na vida. Quem não busca conhecer a si mesmo provavelmente vai ter dificuldade de tomar decisões, não só no que diz respeito à vida profissional.

Nem sempre é fácil identificar o melhor caminho, mas as coisas ficam um pouco mais claras quando cada um consegue entender quem é. Contudo, esse é um processo que leva tempo e, por isso, você deveria se preocupar o quanto antes. O desenvolvimento contínuo é capaz de ajudar a amadurecer a sua visão e posicionamento, facilitando toda a sua trajetória.

Mantenha-se informado

Outro ponto essencial é ser uma pessoa informada e atualizada sobre tudo aquilo que lhe interessa. Muitas vezes, é exatamente isso que faz um estudante decidir por uma área ou outra, pois quem não se informa corre o risco de ser surpreendido negativamente.

Sendo assim, procure saber das oportunidades que estão à sua volta e não deixe de avaliar cada dado obtido. Por exemplo, gostar de animais não é o suficiente para escolher a carreira de veterinário, embora seja um detalhe relevante.

Existem tantos aspectos envolvidos nesse tipo de escolha que a informação é crucial para fazer análises mais profundas — e com maiores chances de sucesso.

Converse com profissionais da área

Essa é uma boa dica para quem já tem uma ideia do que pretende fazer, mas ainda está em dúvida entre duas ou mais possibilidades. Conhecer os desafios reais da profissão também é uma maneira de reconhecer as suas aptidões.

Ao conversar com um profissional da sua área de interesse, é bem provável que você consiga perceber se a realidade contada por ele lhe parece motivante ou não. Pode acontecer de ficar um pouco desanimado ou empolgado para seguir em frente. Quando o reconhecimento é compatível, isso é um sinal de possivelmente ter encontrado sua vocação.

Considere os seus interesses pessoais

Ser bem-sucedido não é somente ganhar um salário alto ou ter um cargo privilegiado. A satisfação com a carreira é algo valioso, logo, a sua vida profissional não pode simplesmente ser maior do que os seus interesses pessoais.

A conciliação das duas áreas é significativa, o que talvez você ainda não tenha percebido na fase em que vive. Já ouviu aquela frase “trabalhe com o que gosta e nunca mais terá que trabalhar”? Pense nela para sempre tentar colocar o lado pessoal na balança ao tomar decisões.

Uma outra sugestão é apostar no que você mais gosta como uma oportunidade de profissão ou de trabalho extra. Avalie os seus hobbies e não desperdice os seus talentos!

Enfim, descobrir a sua aptidão vocacional é uma missão especial e que depende muito da sua disposição para buscar informações, conhecer a si mesmo e procurar ajuda — como o recurso de fazer o teste vocacional. O mais importante é fazer esse processo com calma e consciência para favorecer os seus resultados.

Gostou do post? Para saber ainda mais do assunto, aproveite para complementar a sua leitura com um e-book gratuito sobre vocação profissional!