12 lições que aprendi na faculdade (até agora)

Por Ana Beatriz Grossi

É muito comum ouvir dos nossos pais e amigos que a faculdade é a melhor época da vida, afinal lá você conhece muita gente, vai nas festas mais incríveis e vive experiências únicas, que se transformarão em histórias para o futuro, certo? Mais ou menos. A faculdade pode realmente ser uma época maravilhosa se, e somente se, você souber tirar o máximo desses anos.

Desde muito nova eu já sabia o que queria fazer da minha vida (hoje, faço publicidade), então absorver tudo que a faculdade me oferece sempre foi algo relativamente fácil. Apesar disso, é claro que existem momentos de confusão, indecisão e medo do futuro: Onde eu quero chegar? Como eu chego lá? Será que tudo vai dar certo? Esses momentos, apesar de serem bem aflitivos, me ajudaram a me conhecer melhor e valorizar tudo que vivi até hoje.

Apesar de ainda estar na faculdade, já aprendi muita coisa e consegui entender um pouco mais do que posso fazer nessa carreira e quais são os caminhos que devo seguir para chegar lá. Pensando nisso, decidi escrever e compartilhar esse texto com as 12 principais lições que aprendi na faculdade, para que eu possa ajudar pessoas que estão passando pelo que passei.

1. Quatro (ou cinco) anos passam voando

Pensando racionalmente, 4 ou 5 anos é um período de tempo consideravelmente grande e que demora a passar. Mas quando você está na faculdade, esse tempo passa num piscar de olhos! Me lembro do meu primeiro dia de aula como se fosse ontem e hoje já estou no 5º período.

Por causa dessa velocidade temporal, aprendi a valorizar melhor o meu tempo e todas as aulas que tive. Além de investirmos dinheiro numa graduação, investimos tempo, e não absorver o máximo do ambiente acadêmico é um desperdício destes dois recursos.

2. Fazer o que gosta é fundamental

Para mim, cursar publicidade sempre foi uma certeza, então acordar para ir a aula é um motivo de celebração. Porém, ao contrário dessa minha alegre situação, tenho muitos colegas que não gostam do curso e estão lá só para “terem um diploma”. Mas de que adianta ter um diploma se você não é um bom profissional nem deposita todas as suas energias nas tarefas que desenvolve?

Por isso eu destaco: não é errado trocar de curso. Pelo contrário, é muito respeitável assumir que não fizemos a escolha ideal e começar novamente. Devemos sempre buscar aprender e experimentar coisas que nos atraem. Gastar fosfato em atividades que não nos dão prazer é uma perda de tempo e gera bastante frustração. Nunca é tarde para correr atrás do que gostamos.

3. Nem tudo é festa

Realmente, durante o período de faculdade conhecemos várias pessoas e sempre surgem convites para uma festa ou uma ida ao barzinho da esquina. Não me leve à mal – festas são incríveis e geram várias histórias engraçadas para contar – mas é importante saber separar uma coisa da outra.

Festejar, beber e celebrar é preciso, mas fazer isso durante o horário de aula é um desperdício de tempo e dinheiro. Quando vou para a faculdade, sempre gosto de questionar, escutar e extrair o máximo das aulas, de forma que eu saia todo dia de lá sabendo uma coisa nova. Deixo a ida ao barzinho para os horários extraclasse. E pense: se você absorver tudo que pode enquanto está na faculdade, terá mais tempo para sair depois!

4. Professores são amigos SIM

Desde a época da escola mantive um relacionamento bom com meus professores. Afinal, eles também são pessoas e podem nos ensinar muitas coisas fora da sala de aula. Mas foi na faculdade que percebi que professores podem se tornar amigos e nos ajudar com tudo: seja no ambiente acadêmico, profissional ou pessoal.

Nossos mestres já passaram pelo que nós estamos passando e já estão no mercado de trabalho, então eles conseguem nos dar dicas de carreira, ajudar na definição do caminho que queremos traçar e até mesmo indicar vagas de estágio interessantes.

5. Marketing pessoal existe (e funciona)

Hoje muito se fala de marketing pessoal no mercado de trabalho, mas ele também existe no ambiente acadêmico e, pasmem, funciona muito. Entregar trabalhos com excelência, participar das aulas e sempre buscar mais conhecimento são só algumas práticas que melhoram o nosso marketing pessoal.

A faculdade é uma época de experimentação e liberdade criativa, então é fundamental que nos disponhamos a sair da nossa zona de conforto. Antes de começar a fazer publicidade, eu tinha pânico de falar em público e apresentar trabalhos, hoje isso é uma das coisas que mais gosto de fazer.

Trabalhar nos nossos pontos fracos e buscar sempre nos conhecer melhor é uma excelente maneira de trabalhar e fortalecer o nosso marketing pessoal, que é um dos grandes responsáveis pela abertura de portas no mercado de trabalho.

6. Sair da zona de conforto é fundamental

O período da faculdade nos dá a chance de experimentar e ter a maior liberdade criativa e intelectual possível, então é muito importante aproveitar essa chance e correr riscos. Cometer erros é uma das partes mais legais do processo de crescimento pessoal e profissional, então não tenha medo e se jogue!

7. Tudo é networking

Networking é um termo muito usado no mercado de trabalho dos dias de hoje, mas dentro da faculdade ele é praticamente ignorado. Quanto mais gente conhecemos, mais bagagem e referências temos. Cada pessoa tem seus pontos fortes, fracos e vivências, então conversar com elas pode abrir nossos olhos para assuntos e temas nunca antes considerados.

Ter uma grande rede de contatos é excelente não só para a bagagem cultural, mas também para a profissional, afinal sempre surgem pedidos de indicação para oportunidades de trabalho e quando conhecemos muita gente fica muito mais fácil de indicar e ser indicado.

8. Indicações existem e não são coisas ruins

Sempre ouço pessoas falando: “Ai, como consigo que me indiquem para um estágio? Isso é tão difícil!”, mas é aí que elas se enganam. Receber indicações é um processo que ocorre organicamente se você se esforça e dá o melhor de si sempre. Aprendi que “correr a milha extra” em tudo que faço não dói nada e gera resultados incríveis!

9. Otimização de tempo salva vidas

Na medida que vou avançando no curso, os trabalhos aumentam e o tempo que tenho para fazê-los diminui, então saber como administrar e otimizar as horas do dia é chave para o aumento da produtividade.

Quando passei a organizar meu dia, sabendo quais tarefas devem ser feitas e como fazê-las, minha produtividade aumentou significativamente! Por isso, descubra seu método, seus horários mais produtivos e tente fazer uma agenda, uma tabelinha ou até um bloquinho de atividades.

10. Conteúdo abre portas

Um dos tópicos mais discutidos hoje é o marketing de conteúdo e o impacto que ele tem sobre as pessoas. É possível aproveitar e aplicar esse conceito na nossa vida, afinal se temos um conteúdo interessante para oferecer para as pessoas, sejam elas colegas, amigos, professores ou chefes, mais visibilidade e oportunidades teremos.

Além disso, como já disse no início do texto, com quanto mais pessoas conversamos mais rica fica a nossa bagagem de vida, então investir em criar um conteúdo pessoal valioso é uma ótima ideia!

11. Pensar no futuro é fundamental

Às vezes, quando ouvimos as pessoas falando sobre o futuro, pensamos em algo distante e que demorará para chegar. Porém ele já começa hoje, e quanto mais rápido pensarmos no que queremos fazer daqui a alguns anos, mais fácil será de traçar metas para atingir esses objetivos.

12. Para ser melhor, fique perto dos melhores

Parece clichê, mas quando estamos rodeados por pessoas boas e competentes, nós nos tornamos melhores e somos incentivados a crescer cada vez mais.

Sempre busco estar perto daqueles que trabalham bem, buscam sempre crescer, inovar e entregar o melhor trabalho possível, porque assim recebo uma motivação extra para me tornar a melhor versão de mim mesma.

Ana Beatriz Grossi, é estagiária de outbound marketing na empresa SambaTech. Este artigo foi publicado no blog da empresa e editado para o blog do UNIFEMM, com autorização da autora.

 

Deixe uma resposta