Tudo o que você precisa saber sobre Engenharia Ambiental

O engenheiro ambiental, como o próprio nome já sugere, propõe soluções para problemas ambientais como, por exemplo: poluição dos rios, do ar, descarte do lixo, aquecimento global.

O engenheiro ambiental trabalha em prol do desenvolvimento sustentável e analisa os impactos gerados por ações humanas em recursos naturais, sendo também responsáveis por projetos de conservação e recuperação desses recursos.

Engenharia ambiental e Engenharia sanitária são a mesma coisa?

Essas graduações apresentam conteúdos relacionados à conservação e à recuperação de recursos naturais, porém, com algumas disciplinas específicas.

Engenharia Ambiental foca nas questões ligadas à preservação do meio ambiente, ao licenciamento ambiental e à redução do impacto da poluição gerada por indústrias, por exemplo. Já a Engenharia Sanitária foca em pautas como: abastecimento de água, coleta de lixo doméstico e tratamento de esgoto, bem como de resíduos industriais.

O que diferencia a Engenharia Ambiental e a Engenharia Florestal?

Muitas pessoas confundem essas duas engenharias, já que os nomes são bem parecidos, porém, o engenheiro florestal atua com técnicas de manejo florestal e o engenheiro ambiental trabalha com sistemas urbanos e manejo da poluição hídrica, resíduos sólidos, entre outros.

Como é o mercado de trabalho do profissional?

O profissional é presença super-requisitada em empresas que prezam pelo respeito a natureza e o planeta de um modo geral. O profissional pode ser contratado por iniciativa privada, órgãos públicos e terceiro setor. O UNIFEMM tem egressos ocupando, com sucesso, cargos nos três setores.

Ele pode trabalhar em empreendimentos que necessitam de implantações relacionadas à sustentabilidade, como ONG´s, entidades governamentais, indústria petrolífera, empresas de energia, construtoras, empresas de auditoria ambiental, estações de tratamento e laboratórios.

E a remuneração?

De acordo com o site Salariômetro, da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas, ligadas à USP (Fipe), um estagiário em engenharia ambiental ganha, em média, R$ 882,67 e um engenheiro ambiental já formado tem rendimento média de R$ 5.542,22. Nada mau, hein?

Quem acha que a Engenharia Ambiental não precisa de cálculos, está enganado. O estudante precisa ser bom nesse quesito. Se você é do time dos números, está ótimo! Apesar de ser uma carreira focada em problemas e soluções ambientais, o curso apresenta disciplinas de Ciências Exatas.

Disciplinas como gestão de recursos hídricos e análise de impactos ambientais também fazem parte da grade curricular do curso de Engenharia Ambiental. Confira outras disciplinas:

-Tratamento de Resíduos;

-Cálculo de emissões na atmosfera;

-Recursos hídricos;

-Avaliação de impactos

E a respeito das especializações da área?

Vale investir em uma especialização em Engenharia Ambiental? Sim! Através do curso, o aluno estuda os problemas ambientais, aspectos de saneamento do meio urbano, tratamento de resíduos e efluentes, entre outros aspectos.

O estudante tem a oportunidade de obter a atualização científica das formas de gestão do meio ambiente e o uso sustentável dos recursos naturais e energéticos. É muito legal!

Paixão pelo que faz

Isso mesmo! Colocamos esse título para mostrar que um bom Engenheiro Ambiental, antes de mais nada, precisa ter paixão pelas causas ecológicas e um espírito aventureiro. Aventureiro sim, por que não? O profissional precisa ir a campo, sair e desbravar os problemas.

Já deu para notar que esse profissional é essencial em nossa vida, não é? Com ele, nós conseguimos tornar o mundo melhor, mais “limpo” e sustentável para os nossos filhos e netos.

Um abraço de toda equipe Unifemm!