Quais são os tipos de financiamento estudantil para faculdade?

Com um mercado de trabalho tão competitivo, cursar uma faculdade é fundamental para se destacar e construir uma carreira de sucesso. E não pense que o valor da mensalidade é um fator impeditivo para você ter essa oportunidade. Além das diferentes modalidades de cursos presenciais e a distância, com diferentes preços, o financiamento estudantil também está dando fôlego a muitos alunos na hora de arcar com os custos da graduação.

Para ajudar você a entender melhor como funcionam os programas de financiamento estudantil, neste post vamos apresentar algumas das principais linhas de crédito, tanto da esfera pública quanto privada, para que você decida qual é o melhor para seu bolso. Confira as próximas linhas!

Prouni

Criado pelo governo federal em 2004, o Programa Universidade para Todos (Prouni) concede bolsas integrais ou parciais (pagando 50% da mensalidade) para cursos de graduação e sequenciais em universidades particulares. Podem participar estudantes que ainda não tenham diploma de nível superior.

As seleções do ProUni acontecem semestralmente. Podem concorrer estudantes que tenham participado do Enem no período estipulado (atualmente, 2017) e obtido, no mínimo, 450 pontos na média final, sem ter zerado a redação.

As bolsas integrais são concedidas aos candidatos com renda familiar bruta mensal de até um salário mínimo e meio por pessoa. Já as bolsas parciais atendem quem tiver renda familiar bruta mensal de até três salários mínimos por pessoa. Ainda, os estudantes que decidirem concorrer ao Prouni precisam atender a pelo menos uma das seguintes condições:

  • ter cursado o ensino médio completo em escola pública;

  • ter estudado parte do ensino médio em escola pública e parte em escola particular, na condição de bolsista integral da própria escola;

  • ser portador de deficiência.

A inscrição é gratuita e feita pela internet, na página do Prouni. No ato, o estudante precisa informar o número da inscrição do Enem e sua senha mais recente utilizada no exame. Se não se lembrar dela, é possível recuperar na página do Enem.

Em seguida, o candidato escolhe, de acordo com a ordem de sua preferência, até duas instituições, curso e turnos (a pré-seleção acontece apenas para uma das opções, conforme limite de bolsas e ordem de prioridade). A lista varia conforme o perfil do estudante. Indígenas e afrodescendentes também podem optar por concorrer a bolsas de políticas específicas de inclusão.

Uma vez contemplado, o aluno deve ir até a instituição de ensino e comprovar por meio de documentos as informações declaradas na ficha de inscrição. Se, por acaso, não for contemplado na primeira lista divulgada, ele pode manifestar interesse em ficar numa lista de espera.

Fies

O Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) é um programa do governo federal, criado em 1999, com o objetivo de financiar a graduação de estudantes que não consigam pagar as mensalidades em uma instituição privada.

É possível solicitar financiamento de 10% a 100% do curso, mas o valor máximo mensal pago à instituição de ensino não pode passar de R$ 7 mil (teto que começa a valer a partir do segundo semestre de 2018).

Uma das principais vantagens do Fies é a possibilidade se planejar financeiramente. Você só começa a pagar as parcelas após a formatura, justamente para que se estabilize. Mas atenção! Com as novas regras, o antigo período de carência (tempo de espera depois de terminar o curso para começar a pagar) deixou de existir.

Em 2017, houve algumas mudanças nas regras de adesão que apelidaram o programa de “Novo Fies”. Foi criada uma escala de financiamento de acordo com a renda familiar do candidato. Com essas modalidades, foi possível estabelecer diferentes taxas de juros, que podem chegar a 0%.

O governo justificou as mudanças como uma forma de trazer melhorias ao programa, a fim de garantir sua sustentabilidade e ampliar o acesso a mais estudantes. Veja as diferenças entre cada modalidade:

Modalidade 1

Essa modalidade disponibiliza 100 mil vagas para todo o Brasil, sem qualquer cobrança de juros, e é destinada a estudantes cuja renda mensal familiar seja de até 3 salários mínimos por pessoa. Poderá ser financiado, pelo menos, 50% do valor total do curso, porém, conforme a situação socioeconômica do estudante, é possível haver financiamento integral das mensalidades.

Modalidade 2

Essa faixa atende estudantes das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste cuja renda por pessoa em sua família seja de até cinco salários mínimos. Nesse caso, são 150 mil vagas com juros variáveis, conforme política da instituição financeira responsável pelo financiamento.

Modalidade 3

Essa modalidade oferece 60 mil vagas com juros variáveis a estudantes de todo o país, cuja renda por pessoa em sua família seja de até cinco salários mínimos. As taxas de juros alteram-se conforme as políticas da instituição financeira responsável pelo financiamento.

Pravaler

O Pravaler é o maior financiamento estudantil privado do Brasil. Tem parceria com mais de 500 instituições de ensino, e ao longo de 12 anos já ajudou mais de 120 mil alunos a concluir a graduação.

A principal vantagem desse programa é a facilidade de acesso. Você faz seu cadastro online, não precisa ter conta em banco e pode solicitar o ano todo. Quando a análise de crédito for pré-aprovada, basta enviar os documentos pela internet. Além disso, o programa está no Fies.

Com o Pravaler, dá para financiar o curso todo, em parcelas que não se acumulam, e você começa a pagar enquanto estuda. Ainda, há opções de financiamento sem juros.

Juro Zero UNIFEMM

Esse programa é uma parceria do UNIFEMM com o Pravaler. Por meio dele, é possível financiar seu curso inteiro pagando somente 50% da mensalidade enquanto você estuda. O restante só começa a ser quitado após você se formar ― com taxa de juros 0%.

Esse financiamento vale para qualquer lugar onde o aluno esteja e não há restrição de área do conhecimento. É aberto tanto para candidatos do vestibular UNIFEMM quanto para alunos efetivos.

É possível contratar em qualquer período que esteja cursando, e os contratos são semestrais, sem acúmulo de parcelas num mesmo mês. Além disso, não precisa ter conta bancária e nem ter realizado o Enem. O financiamento tem duração de duas vezes o tempo contratado. Também é possível financiar até duas mensalidades em atraso.

Se você gostou desse financiamento, corra, pois os contratos são limitados.

Crédito Bradesco Universitário

Essa linha de crédito também tem convênio com o UNIFEMM. No Bradesco Universitário, você pode financiar até 100% do seu semestre, com a possibilidade de pagar em até 12 meses. As parcelas são debitadas da sua conta-corrente e a taxa de juros varia de acordo com o convênio entre o banco e a instituição.

A cada início de semestre de seu curso, você pode contratar um novo financiamento. Para isso, basta estar em dia com as prestações, e o Bradesco avaliará um novo crédito. A vantagem é que você só começa a pagar esse novo contrato após quitar o anterior.

Para contratar, você faz uma simulação no próprio site do banco, de forma bem rápida. Basta selecionar a instituição de seu interesse e informar o valor que gostaria de financiar. Em segundos, você já tem a resposta. Se couber no bolso, basta se dirigir à agência mais próxima de você e contratar.

Com tantas opções de financiamento estudantil, cursar uma faculdade ficou muito mais fácil. Basta se organizar com bom planejamento financeiro e você não terá problemas para pagar as mensalidades. Então, não perca tempo e dê uma guinada na sua vida profissional!

Ah, antes de sair deste post deixe um comentário aqui embaixo dizendo sua opinião sobre o crédito universitário, ou mesmo faça alguma pergunta, e nós teremos o maior prazer em responder à sua dúvida!