O futuro te pertence

O que você quer ser quando crescer? 

Quem nunca ouviu essa pergunta, algumas dezenas de vezes, enquanto ainda era criança?   Muito provavelmente àquela época respondíamos com alguma convicção mas com pouco ou nenhum conhecimento de causa. Quase todos nós já devemos ter dito que seríamos cantores, jogadores de futebol, médicos, veterinários.

Nossas escolhas profissionais na vida adulta não costumam ser tão simples quanto às da infância. A escolha do curso técnico ou superior que vamos fazer, por exemplo, é muitas vezes uma decisão difícil e cercada de incertezas.  Uma vez tomada essa decisão, vão-se alguns anos de aprendizado na área escolhida, muitas vezes já atuando no mercado de trabalho ou como empreendedor.

Todo esse percurso, marcado por diversas escolhas profissionais. Não é surpresa para ninguém que a gestão de um negócio demanda diversos investimentos, tais como marketing, treinamento e infra-estrutura. Da mesma forma, a gestão de carreira também demanda investimento.  Investimento em formação, em aperfeiçoamento e, fundamentalmente, em gestão de carreira. A história do “deixa a vida me levar” pode ser bastante arriscada no âmbito profissional.  Num mundo cada vez mais competitivo não nos é permitido mais estarmos na média. Lembra aqueles 60% para passar? Então, eles estão muito longe de serem suficientes quando tratamos de nossa avaliação profissional.

Se imagine na condição de responsável pelo processo de contratação de uma grande empresa. O que você esperaria/desejaria dos candidatos? A média?!?  É preciso se diferenciar! E como fazer isso? Primeiramente investindo nas suas potencialidades, ou seja, potencialize o que você tem de melhor.

Faça uma análise de competências e habilidades (considere por exemplo a lista de competências e habilidades sócio-comportamentais a serem exigidas até 2020)  e avalie atribuindo notas de 1 a 10.  Agora atente-se para as maiores notas, lá estão seus diferenciais competitivos.  Isso não significa que possamos abandonar nossas fragilidades, elas também devem ser trabalhadas e, com algum esforço, é evidente que conseguiremos melhorias.

Quanto mais completo o profissional, maior seu valor de mercado! Também aproveite a oportunidade para refletir: eu tenho um planejamento para minha carreira?  Onde e como espero estar daqui a cinco anos?  Quais próximos passos pretendo dar?

Somos adaptáveis e essa adaptabilidade é o que nos permite romper barreiras e traçar nosso futuro.  Como escreveu Fernando Pessoa: Segue o teu destino, rega as tuas plantas e ama as tuas rosas. O resto é sombra de árvores alheias!