Por que fazer um curso de Gestão de Recursos Humanos?

O meio corporativo tem incluído cada vez mais a tecnologia em suas atividades. Apesar disso, as pessoas continuam a ser instrumentos fundamentais dentro das organizações. Com o objetivo de melhorar o relacionamento entre empresas e colaboradores, surgiu o curso de Gestão de Recursos Humanos.

A presença de um especialista é necessária em estabelecimentos de todos os portes e de segmentos variados. Por isso, essa é uma carreira que abrange um vasto campo de atuação, sendo muito promissora para os profissionais do ramo, que desempenham funções estratégicas no ambiente empresarial.

Neste post, vamos trazer informações sobre essa graduação e mostrar como é o mercado de trabalho para esse profissional. Se você se interessa pela área e deseja aprender mais sobre essa carreira, siga a leitura!

O curso de Gestão de Recursos Humanos

O curso superior tecnólogo em Gestão de Recursos Humanos capacita os estudantes para atuar com planejamento e gerenciamento no setor de pessoal. Tem duração de 2 a 3 anos e pode ser cursado de forma presencial ou a distância.

Sua grade curricular é composta de disciplinas como administração financeira e orçamentária, higiene e segurança do trabalho, comportamento organizacional, ética e responsabilidade social, gestão de pessoas, desenvolvimento de equipes e relações interpessoais, treinamento e desenvolvimento de pessoal, comunicação organizacional, entre outras.

Essas matérias ministradas durante o curso estão ligadas às atividades de rotina da profissão. Dessa forma, auxiliam no crescimento da visão estratégica do aluno e preparam para a prática dentro dos estabelecimentos.

Funcionamento da área

Inicialmente, o ramo de Recurso Humanos, também conhecido por RH, tinha um perfil mais operacional, com a realização de treinamentos difusos para a equipe, sem um objetivo bem definido.

Atualmente, o setor vem focando na parte estratégica. O gestor de RH tem um papel diferenciado dentro das instituições, com grande participação na tomada de decisões. O treinamento de pessoal agora foca na qualificação da equipe, de forma a gerar resultados positivos para a empresa.

Importância estratégica

O profissional dessa área tem papel de destaque no estado emocional dos empregados. Ele é o responsável por manter os colaboradores motivados e engajados, aumentando a produtividade.

Por essa razão a categoria tem se destacado dentro das corporações, e agora tem papel de relevância estratégica no aperfeiçoamento dos talentos, na realização de melhorias e na produção de resultados. Nesse sentido, o gestor é um dos grandes responsáveis pelo crescimento das instituições, ao valorizar o capital humano e intelectual presente no quadro de funcionários.

Mercado de trabalho

O tecnólogo em Gestão de RH tem um amplo leque de oportunidades no mercado de trabalho. Entre os campos em que ele pode atuar, podemos citar:

  • instituições públicas;

  • instituições privadas;

  • terceiro setor;

  • indústria;

  • comércio;

  • empresas de consultoria.

Dentro dessas organizações, esse especialista pode exercer algumas funções, entre elas:

  • assistente de RH;

  • assistente de benefícios;

  • analista de relações trabalhistas júnior;

  • consultor de RH;

  • business partner.

O profissional de Recursos Humanos

Como visto, o mercado de trabalho tem absorvido esses profissionais em cargos variados e em empresas de todos os portes e segmentos. Antes de decidir ingressar na área, é preciso analisar algumas informações importantes para a carreira, como atuação, perfil esperado, atividades desenvolvidas e remuneração inicial.

Áreas de atuação

Essa especialidade pode trabalhar em diversos setores dentro da entidade. Veja, a seguir, as principais esferas de atuação desse tecnólogo e quais ações ele pratica em cada uma delas:

  • recrutamento e seleção — atua no processo de seleção dos funcionários, desde a divulgação das vagas até o momento da contratação;

  • treinamento e desenvolvimento — realiza treinamentos para desenvolver competências e superar deficiências;

  • saúde e segurança — organiza palestras de prevenção contra acidentes de trabalho e programas de saúde mental;

  • cargos, salários e benefícios — fiscaliza o cumprimento dos pisos salariais e do plano de cargos e salários, quando houver;

  • departamento pessoal — supervisiona o departamento financeiro nas tarefas que envolvem folha de pagamentos, folha de pontos, faltas, vale-alimentação e vale-transporte;

  • plano de carreira — incentiva a aprendizagem dos empregados por meio do plano de carreira;

  • avaliação de desempenho — realiza avaliações de desempenho periódicas para identificar e corrigir as dificuldades da equipe;

  • relações sindicais — faz a intermediação das relações entre funcionários, empresas e sindicatos.

Perfil profissional esperado

Se é curioso e gosta de ajudar pessoas, essa pode ser a área certa para você!

É esperado que o estudante tenha interesse em lidar com os colaboradores dentro das corporações e em auxiliar no crescimento pessoal e profissional deles. Também é importante gostar de aprender, pois esse campo está sempre com novas propostas para melhorar os relacionamentos interpessoais e continuamente apresenta novos formatos de capacitação.

O gestor de RH precisa ser produtivo, saber se comunicar de forma eficiente, ser confiante na tomada de decisões e ter personalidade de coach, pois os desafios e treinamentos fazem parte da rotina de trabalho desse ramo.

Atividades desenvolvidas

A graduação habilita o aluno a criar ações relacionadas ao gerenciamento de pessoas, e as principais tarefas desenvolvidas por ele estão relacionadas ao desenvolvimento de talentos e à melhora do clima organizacional. Entre elas, podemos destacar:

  • cumprimento das legislações trabalhistas;

  • recrutamento e seleção de novos funcionários;

  • elaboração de atividades entre colaboradores;

  • definição de cargos e salários da empresa;

  • criação de programas de incentivo;

  • estruturação de processos burocráticos;

  • gerenciamento de conflitos;

  • treinamento e desenvolvimento de colaboradores;

  • gerenciamento do clima organizacional;

  • elaboração do plano de carreiras;

  • planejamento de programas de treinamento e capacitação dos colaboradores;

  • implementação de benefícios.

Remuneração

A remuneração média depende da função exercida e do tempo de carreira. Esses especialistas não têm um piso salarial único no país e, por isso, a remuneração também pode variar a depender do estado em que atuam.

A média salarial de um profissional recém-formado é de R$ 3.016,94 mensais para o cargo de analista. No topo da carreira, a remuneração chega a R$ 7.164,00 no cargo de gerente.

O mercado de trabalho é amplo e absorve de forma eficiente a mão de obra que acabou de deixar os bancos da universidade. Para quem deseja atuar de forma independente, uma boa opção é realizar consultorias e treinamentos especializados.

Dessa forma, são muitas as razões para escolher um curso de Gestão de Recursos Humanos. É um setor que continua em expansão e tem papel fundamental dentro das organizações. Se você tem interesse na área, é importante escolher uma instituição de ensino qualificada para prepará-lo adequadamente para exercer essa profissão.

Agora que você conhece mais sobre o cargo de gestor de Recursos Humanos, preencha nosso formulário e nós entraremos em contato para auxiliá-lo em sua carreira!