Separamos as melhores dicas para você descobrir como ser professor

Um dos grandes problemas da desigualdade social no mundo é a ausência de educação. Tanto que a Organização das Nações Unidas determinou entre seus principais objetivos “Assegurar a educação inclusiva e equitativa e de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todas e todos”. Se você também acredita no poder da educação e deseja mudar a vida de muitas pessoas, deve estar se perguntando: como ser professor?

A primeira coisa a saber é que a formação em docência é ampla e envolve desde a própria graduação em Pedagogia até programas de pós-graduação, mestrado e doutorado, além de capacitações profissionais que vão ocorrer permanentemente ao longo de toda a carreira.

Além disso, você poderá trabalhar com diferentes níveis de ensino e, se desejar, investir em outras áreas (correlatas ou não) para atuar em diferentes especialidades. Então, se você tem esse apreço pela educação, continue lendo nosso artigo e descubra como ser professor!

Qual o papel do professor no desenvolvimento de um aluno?

Ser professor é ensinar a “ler o mundo”, escreveu Paulo Freire em uma carta aos educadores. Um dos maiores pensadores da educação de todos os tempos, ele estava certo.

Mais que transmitir conhecimentos, o professor tem o papel de desenvolver a autonomia do aluno desde a educação infantil, a fim de que ele se torne um cidadão com pensamento crítico, capaz de compreender a sociedade e viver nela de acordo com princípios éticos. Além disso, o professor será o responsável por preparar seus alunos, na idade adulta, a enfrentar o mercado de trabalho, ao fornecer todas as ferramentas necessárias para que eles possam ser profissionais de respeito.

Assim como Paulo Freire, outro grande pensador ― Rubem Alves ― criou uma expressão emblemática: “o professor de espantos”. Ele quis dizer que o professor não deve ser apenas um transmissor de informações, mas, em vez disso, aquele que instiga a curiosidade do aluno e o faz sair do lugar-comum. Para ele, educação é “criar a alegria de pensar”.

Os grandes professores são aqueles que tiram os alunos da zona de conforto, estimulam sua proatividade e desejam vê-los atingindo objetivos. Você se lembra de seus professores preferidos? Essa memória é uma das maiores recompensas para quem trabalha com educação. Nossos grandes professores são inesquecíveis, pois eles nos tiveram importante papel em nossa formação.

Ainda, no caso da educação básica, o professor também é um importante laço entre a escola e a família. Isso porque é ele quem vai acompanhar o desenvolvimento do aluno, perceber a existência de algum problema e, até mesmo, administrar conflitos que possam prejudicar as amizades e o relacionamento entre os colegas.

No ensino superior, por sua vez, em que o foco é o desenvolvimento profissional, o professor tem o dever de apontar os melhores caminhos para uma carreira brilhante e contribuir com as melhores técnicas para que os universitários concluam a graduação capacitados para enfrentar a competitividade do mercado.

Por fim, mas sem encerrar o tema, o professor também é um estrategista. Ele observa a sociedade, verifica o que é preciso para um ensino de mais qualidade, conhece cada aluno e a escola. Assim, constrói planos pedagógicos e também possibilita que outros docentes melhorem suas práticas educativas.

Quais são os pontos fortes da profissão?

A carreira docente tem um dinamismo muito particular, pois permite ao profissional atuar em diferentes frentes, desde a sala de aula até a direção de instituições de ensino. Por isso, você pode traçar um caminho brilhante e adquirir experiência em várias áreas para construir sua carreira. Confira, agora, algumas vantagens de seguir a carreira docente.

Incentivo à capacitação profissional

Qualquer instituição de ensino precisa de profissionais altamente capacitados. Por isso, é comum que as próprias escolas e faculdades criem incentivos à capacitação profissional de seus docentes.

Na educação básica é comum que ao longo do ano aconteçam encontros de formação, em que são discutidas práticas pedagógicas e questões importantes do cotidiano escolar. No ensino superior, além da capacitação oferecida tal qual as escolas, também pode haver incentivos com bolsas de mestrado, doutorado e/ou pesquisa e extensão.

Vários nichos de carreira

Apesar da imagem da atuação em sala de aula, como você percebeu o campo de atuação é vasto. Isso permite a você encontrar uma área com a qual se identifica e investir nela. A atuação docente, como citamos, compreende coordenação e planejamento, gestão de pessoas, consultoria pedagógica, educação especial (para portadores de deficiência), entre outras.

Além disso, há profissionais que cursam pedagogia com o intuito de obter a licenciatura para poder dar aulas, como é o caso dos professores de música, por exemplo.

Muita oferta de trabalho

Saiba de uma coisa: há vagas. Dificilmente um professor fica sem emprego, não apenas por causa da vasta gama de opções da carreira, mas, sobretudo, porque todos os dias são abertos concursos públicos, novas escolas, universidades e outros serviços educacionais. Então, a demanda por profissionais capacitados é grande, além de a remuneração ser bem alta conforme a área de atuação.

Férias duas vezes por ano

Outro benefício é que o professor tem mais dias de descanso. Em geral, as férias ocorrem no mês de julho. Mesmo assim há o recesso escolar, que compreende o final do mês de dezembro até os últimos dias de janeiro. Além disso, em geral as escolas emendam feriados. Isso é um excelente compensador para repor as energias do cotidiano.

Qual é a formação necessária para atuar como professor?

Os requisitos mínimos para uma atuação plena dependem dos objetivos da carreira docente. Sendo assim, saber qual área deseja seguir é essencial para conseguir os créditos corretos. Veja alguns exemplos:

Graduação em Pedagogia

Este curso é dedicado aos futuros professores que desejam atuar desde a educação infantil até os anos iniciais do Ensino Fundamental (1o ao 5o ano). Esse docente ministra integralmente as disciplinas da turma, com o apoio de alguns colegas de área (como Inglês, Educação Física, Informática). Embora a prioridade seja a formação de professores, a graduação em Pedagogia também dá capacitação em gestão escolar.

Licenciaturas

É a habilitação necessária para poder atuar como professor até o Ensino Médio. Normalmente, a licenciatura está atrelada a campos específicos do conhecimento. Então, os cursos superiores de áreas como Letras, Matemática, Química, Ciências Biológicas e a própria Pedagogia oferecem essa possibilidade para a atuação em instituições de ensino. Vale lembrar que o bacharelado não permite que o professor atue em sala de aula.

Pós-graduação

A pós-graduação é uma complementação da formação do professor. Pode incluir especializações em temas específicos da área ― que chamamos de lato sensu ― ou programas de mestrado e doutorado stricto sensu, que sugere o aprofundamento em determinados eixos de pesquisa. O ensino superior exige, no mínimo, pós-graduação lato sensu.

Complementação pedagógica

São cursos de capacitação profissional. Normalmente têm curta duração e abordam questões pontuais da vida docente. Podem acontecer presencialmente, atrelados a instituições de ensino ou consultorias específicas, bem como na modalidade EAD.

Agora que já sabe como ser professor também pode garantir uma carreira de sucesso. Se você acredita em sua vocação profissional comece a investir já. Conheça algumas das melhores instituições de ensino e converse com profissionais da área. Sem dúvida, será uma escolha muito promissora!

Gostou deste conteúdo? Então, compartilhe-o em suas redes sociais e ajude a divulgar a carreira docente entre seus amigos.