Tudo sobre arquitetura: saiba como é o curso e o mercado de trabalho!

O arquiteto é um dos profissionais mais importantes dos espaços urbanos, pois sua função é realizar projetos para melhorar a qualidade de vida das pessoas. A universidade tem o importante papel de capacitá-lo para transformar ideias em realidade. Para entender mais sobre esse mundo mágico, este post vai lhe mostrar tudo sobre arquitetura.

Profissionais atuantes na área mencionam a felicidade de vencer desafios e ver suas ideias se tornando uma realidade que, não raro, significa a realização de sonhos. O projeto de uma primeira casa própria, a urbanização de uma área periférica, a restauração de um monumento degradado são exemplos de como a arquitetura é indispensável à vida das pessoas.

Além disso, essa carreira promissora e duradoura é repleta de bons desafios. E a cada projeto, existe uma descoberta pessoal. Certamente você vai se encantar. Vamos lá?

A arte e a técnica de projetar

Muitos estudantes interessados em desenho e cálculo optam por prestar o vestibular de Arquitetura, pois o curso dá a eles a capacidade de unirem a criatividade e a técnica das matérias exatas na hora de fazer um projeto.

O curso de Arquitetura e Urbanismo propicia uma das bagagens mais ricas ao universitário. Une arte, visão humanística e disciplinas de engenharia, matemática e cálculo. Mescla, assim, a área técnica às ciências humanas aplicadas.

Ao longo do curso, o estudante aprende a desenvolver a sensibilidade artística de compor espaços belos e funcionais e a técnica necessária para tornar essas obras fisicamente realizáveis.

Para trilhar uma carreira de sucesso é preciso querer “pôr a mão na massa”. Desde a graduação, o dia a dia do aluno envolverá visitar obras, pesquisar materiais, realizar medição de espaços, entender conceitos e planejar muito.

Só assim vai conseguir projetar espaços funcionais que juntem conforto, sustentabilidade e economia para quem usufruir deles. Isso envolve compreender os seguintes aspectos:

  • cultura da região;
  • história;
  • meio ambiente;
  • estética e funcionalidade.

Oscar Niemeyer já dizia:

“Se a reta é o caminho mais curto entre dois pontos, a curva é o que faz o concreto buscar o infinito”.

Então, você precisa ser essa curva.

Grade curricular de Arquitetura e Urbanismo

Arquitetura e Urbanismo é um curso de bacharelado que dura em média cinco anos, como é o caso da UNIFEMM. A maior parte da grade curricular é composta por disciplinas práticas, tanto da área de humanas, quanto de exatas.

Embora o início do curso seja mais teórico, de imediato dá para perceber um enfoque interdisciplinar, com disciplinas mais artísticas que se mesclam às humanísticas. No decorrer do curso, as aulas vão sendo norteadas para a ampliação de habilidades específicas, conhecimento de softwares e noções práticas da atuação profissional, até a chegada do primeiro estágio — momento em que o estudante inicia seu contato com o mercado de trabalho.

O mais interessante de tudo sobre arquitetura é com relação à quantidade de possibilidades de atuação. Depois de formado, o profissional pode escolher atuar em muitos campos diferentes, como planejamento urbano, design gráfico, paisagismo, conservação de patrimônio histórico, e por aí vai.

Por isso, a grade curricular do curso de Arquitetura e Urbanismo é baseada em cinco grandes áreas:

  • Arquitetura de Edificações;
  • Arquitetura de Interiores;
  • Urbanismo;
  • Paisagismo;
  • Restauro.

Com base na grade curricular da UNIFEMM, atualizada com as principais demandas do mercado, veja as principais disciplinas no curso de Arquitetura e Urbanismo:

  • Ambiência Urbana e Sustentabilidade;
  • Análise de Paisagem;
  • Banco de Dados Geográficos;
  • Cartografia;
  • Conforto Ambiental;
  • Desenho Assistido por Computador;
  • Elaboração de Projetos de Trabalho Acadêmico;
  • Estatística;
  • Ética e Responsabilidade Social;
  • Fundamentos da Arquitetura e Urbanismo;
  • Geomorfologia;
  • Geoprocessamento;
  • Gestão Ambiental e Urbana;
  • Governança Municipal;
  • Inglês Instrumental;
  • Introdução aos Sistemas Estruturais;
  • Legislação urbana;
  • Leitura e Produção de Texto;
  • Materiais, Técnicas e Sustentabilidade das Edificações;
  • Modelagem de Banco de Dados;
  • Oficina Integrada de Intervenções Urbanas (O Bairro e a Cidade);
  • Planejamento Urbano e Territorial;
  • Planos, Projetos e Participação;
  • Pratica Simulada de Análises Espaciais (Básica, Funcional e Dinâmica);
  • Projeto de Arquitetura (Habitações, Edificações de Pequeno Porte, Interiores e Edifícios de Médio Porte);
  • Representação Gráfica;
  • Revitalização de Áreas e Edifícios Degradados;
  • Teoria e História da Arquitetura e do Urbanismo;
  • Topografia;
  • Trabalho de Conclusão de Curso;
  • Disciplinas optativas, atividades complementares e estágio supervisionado.

Habilidades específicas

Fazer cálculos, desenhar à mão e ter precisão para cortar, polir e pintar materiais estão entre as habilidades ensinadas no curso de Arquitetura e Urbanismo, pois fazem parte dos requisitos esperados de um arquiteto.

O mesmo vale para o conhecimento avançado de softwares de desenho técnico, como o AutoCAD — muito usado não só na construção civil, mas também para projetos de hidráulica, elétrica, peças industriais, entre outros.

Outros programas também costumam ser abordados. O Vectorworks, por exemplo, oferece muitas ferramentas para a criatividade do usuário. Já o Revit otimiza tempo e permite a interação de várias pessoas num mesmo projeto.

E falando em maquetes, essa atividade faz parte do cotidiano do curso de arquitetura. É muito comum os professores pedirem a reprodução em detalhes de conjuntos arquitetônicos e a simulação de obras inéditas.

Essas atividades somam-se a aulas de laboratório e estudo de campo. O objetivo é simular as exigências do mercado de trabalho e desenvolver no aluno o raciocínio crítico, a coordenação motora fina, bem como ambientá-lo ao campo da construção civil.

Áreas e ocupações mais comuns do arquiteto

Com um mercado em expansão no país, o arquiteto possui diferentes campos onde pode atuar. Quando pensamos sobre obras, por exemplo, arquitetos e engenheiros podem integrar a mesma equipe.

Enquanto a atuação do engenheiro é mais voltada para a estrutura da obra, o arquiteto desenhará a planta levando em consideração funcionalidade, sustentabilidade e conforto. Porém, é comum ambos gerenciarem a construção, acompanhando custos, compra de material e mão de obra.

O arquiteto está apto a pensar tanto espaços externos quanto internos. Em uma cidade, sua atuação é importantíssima, pois seu papel é racionalizar e humanizar os espaços coletivos e privados. Ele pode trabalhar tanto para construtoras, escritórios, no setor público ou ter seu próprio ateliê.

Confira abaixo algumas das principais áreas de atuação do arquiteto:

Arquitetura de interiores

Projeta todo o interior de ambientes, como casas, escritórios e clubes. Decide desde os revestimentos até o mobiliário e iluminação.

Arquitetura industrial

Projeta fábricas e edifícios destinados a qualquer área produtiva, incluindo espaços utilizados para o deslocamento de pessoas, como aeroportos e terminais de ônibus.

Luminotécnica

Essa área foca no projeto de iluminação de ambientes, de diferentes tamanhos e complexidades.

Paisagismo e cenografia

O paisagista projeta espaços ao ar livre, como parques, praças e jardins. Ele também pode enveredar da cenografia e construir cenários de produções cinematográficas, televisivas ou teatrais.

Restauração de patrimônio

É um trabalho minucioso de devolver as características originais a ambientes degradados, sobretudo prédios históricos, ou repaginar locais desgastados pelo tempo.

Consultoria

Atuação mais voltada a profissionais liberais que abrem seus próprios escritórios. Eles atendem pessoas físicas ou empresas que desejem realizar projetos. Além disso, essas consultorias podem ser formadas por equipes multidisciplinares para a realização de obras maiores.

Urbanismo

Trabalha em contato com o setor público, planejando soluções sustentáveis para o crescimento organizado das cidades. Há casos em que são contratados para construir cidades ou bairros a partir do zero, como foi Brasília nos anos 1950.

O salário de um arquiteto

A área da arquitetura proporciona ganhos interessantes, tanto para funcionários de uma empresa quanto para quem é profissional liberal. De acordo com o Conselho Nacional de Arquitetura do Brasil, o piso salarial de arquitetos e urbanistas funciona da seguinte forma:

  • contratos de 6 horas diárias: 6 salários-mínimos;
  • contratos de 7 horas diárias: 7,25 salários-mínimos;
  • contratos de 8 horas diárias: 8,5 salários-mínimos.

Depois de ler isso tudo sobre arquitetura, seus olhos devem estar brilhando. Mas se ainda está em dúvida sobre qual graduação escolher, baixe o nosso e-book sobre orientação vocacional que vai ajudá-lo a decidir os rumos de seu futuro profissional!